Fotógrafos

ALEXANDRE RAUPP

Alexandre Raupp é publicitário de formação. Encontrou na fotografia sua maior fonte de expressão. Através dela, percorre a linha fluída do oceano e a dureza do concreto. Tem interesse na harmonia oculta da floresta à desordem da cidade. Coleciona há anos as nuances de cores do céu. Está sempre em busca de imagens capazes de traduzir de forma intensa o momento ou lugar.




RAFAEL MEDINA

Fotógrafo carioca baseado há 4 anos em Berlin.
Formou-se em Filosofia pela UERJ e estudou artes visuais na EAV-Parque Lage.  A produção de Rafael retrata pessoas LGBTQ+ focando em seus afetos, sexo e sexualidades.  Seus cliques analógicos em 35mm e suas experimentações com dupla exposição em filme fotográfico, procuram investigar memórias, vestígios e outras relações temporais dentro da cultura Club e da vida Queer, sob um ponto de vista de quem faz parte desse contexto.
A música tem sempre um papel fundamental no trabalho do Medina, a pista de dança é historicamente um lugar de socialização e acolhimento onde pessoas Queer se apoiam e expressam suas singularidades de maneira livre, por esse motivo, o fotógrafo intitula suas imagens com nomes de músicas.
Medina participa atualmente da exposição coletiva "Intimacy: Queer art from Berlin and Beyond" no Schwules Museum em Berlim e do recém lançado livro "New Queer Photography"




ITA KIRSCH & BALA BLAUTH

Ita Kirsch, fotógrafo e Bala Blauth, fotógrafa, artista visual e produtora cultural, mostram seu mundo através da imagem ( Um Mundo de Fotos). Já percorreram as trilhas de muitos mapas, já captaram diferentes mundos, culturas e luzes. Mas é dentro da natureza que se encontram com o sentido da vida , mergulhando nos seus detalhes, penetrando no seu mimetismo, ultrapassando o fragmento estático capturado. A fotografia é uma expressão do diálogo contínuo com a natureza, que somada à paixão pelo meio ambiente e admiração com nosso planeta vivo, revelam a força da imagem. Essas fotos de pura poesia que Bala e Ita enxergam andando pelo mundo, são fragmentos cuja estética soa quase irreal. Uma beleza que provoca pensamento: fotografias fixam o que existe hoje para que se tenha algo com que comparar com o futuro. Qual futuro?
Toda fotografia carrega traços de existência física e matéria delirante de sonho. Este é o segredo de Bala Blauth e Ita Kirsch. Em sua produção constam 35 exposições individuais, 6 coletivas, 2 exposições itinerantes, 7 audiovisuais e 7 livros de fotografia, além de ensaios e matérias para mídias digitais. Para Ita e Bala, a fotografia é algo que faz parte de suas vidas. É uma maneira de expressar a sua arte. Em seu estúdio possuem um grande acervo fotográfico das belezas naturais, humanas e culturais desse imenso planeta chamado Terra. 




SILVIO PIESCO

Silvio Piesco é Músico, Fotógrafo e Artista Plástico. Como músico trabalhou com direção musical para teatro e atualmente produz trilhas sonoras para comerciais e cinema, tendo inúmeros prêmios nacionais e internacionais. Como fotógrafo desenvolve trabalhos com fotografia documental e autoral. Tem exposições realizadas no Mis de São Paulo e no Salon D’Automne França-Brasil. Como artista plástico vem desenvolvendo trabalho onde mistura técnicas de ilustração e fotografia sob o heterônimo de Eu Clides.




RAUL KREBS

Raul Krebs (Estúdio Mutante), atua em diversas áreas da fotografia, pesquisando técnicas, estéticas e linguagens nas áreas da moda, do design, da fotografia fineart e da fotografia experimental com pinhole e mobgrafia. Imagem em movimento também faz parte de sua constelação criativa ao assinar direção de fotografia e cena em clipes e comerciais. Especialista em Marketing de Moda e Mestre em Design Estratégico, pesquisador e professor da ESPM e UNISINOS - Design Visual e de Moda (Fotografia de Moda, Projeto Gráfico e Semiótica). Na UNISINOS, atua nos cursos de Fotografia, Comunicação Digital (ComDig) e Especialização em Design Estratégico. Considera-se um fotógrafo mutante e flanêur, atento ao movimento e à inconstância da vida urbana, e tem na música, na literatura, na arte e no design grandes fontes de inspiração. Prefere não ter convicções definitivas sobre o que o cerca. Em poucas palavras, um fotógrafo mutante.




ALONSO DE ANDRADE

Natural de Recife-Pernambuco, Alonso de Andrade começou a trabalhar com publicidade aos 19 anos.Trabalhou como Produtor de Filmes e Art Buyer em algumas agências da sua terra até migrar para São Paulo para tocar um projeto de licenciamento musical, voltando a trabalhar mais tarde nas maiores e mais conceituadas agências do país. Imagem sempre fez parte da sua vida, mas é através da fotografia que Alonso de Andrade consegue se expressar melhor. Formado pela Escola Panamericana de Arte, seu trabalho volta-se para o mundo urbano onde a arquitetura e as pessoas se fazem presente.




HELOISA MEDEIROS

Artista visual, formada em fotografia Fine Art pela Escola de Fotografia Artística EFA. Professora de fotografia fineart e de moda em Porto Alegre, ela já teve suas obras expostas na Bienal de Veneza, Paris, Mallorca e Buenos Aires, assim como SP, Curitiba e POA.  "Quero que minhas fotografias provoquem reflexão e estranhamento. Acredito que monstruoso e sublime podem dialogar muito bem nas artes visuais. Misturar cenários tétricos com personagens etéreas, me encanta. Penso que a fotografia como expressão artística deve ser densa, profunda e contundente. Não apenas bela."   A partir desta premissa, ela vem construindo cuidadosamente sua trajetória traçada para construção de um projeto autoral, contemplando assim, suas particularidades e lirismos.




FABIAN GLOEDEN

 Ilustrador, artista plástico, diretor de arte e fotógrafo, é o idealizador e um dos curadores da Zigwall. Para Fabian, criar imagens está além do seu universo profissional, é algo que o define como ser humano. Dos quadrinhos para a publicidade, das agências de propaganda para o estúdio fotográfico, seguiu sua paixão em criar imagens pelo fluxo criativo. Como fotógrafo especializou-se em publicidade de moda sem nunca perder de vista os seus projetos criativos autorais, aos quais atualmente se dedica de corpo e alma. Para Fabian, uma fotografia deve criar mais dúvidas do que certezas, deixando para quem a contempla, a missão de preencher as lacunas com sua própria interpretação. 

 




RAQUEL BRUST

Raquel Brust é fotógrafa e artista visual. Procura fazer uma fotografia expandida que extrapola os limites da linguagem e permite um processo criativo híbrido com outras áreas. A artista percebe a câmera fotográfica como uma extensão de seu corpo, como uma ferramenta de aproximação social e de expansão de consciência. Sua série mais extensa, o Projeto Giganto, de intervenção urbana com fotografias hiper dimensionadas, é realizada desde 2009 e é reconhecida internacionalmente.